Make your own free website on Tripod.com

Mayda

Parte do mapa do Novo Mundo de 1513 de um ptolomeu mostrando as ilhas de Mayda e Brazil.

 

 

A ilha de Mayda é geralmente colocada perto da Ilha Verde. À semelhança do escolho de "Green Rock" o seu nome mantêm-se ainda no de um outro escolho, situado perto do primeiro, cujo nome permanece "Maida". Esta ilha é geralmente representada sob a forma de um crescente e a sua posição mais comum é a Oeste da parte inferior da Bretanha e aproximadamente a Sudoeste da Irlanda. O nome conhece diversas formas desde Maida, Mayd, Mayde, Asmaida e ainda Asmayda. Nos mapas do século XVI a ilha ainda é apresentada, embora esteja omissa dos mapas de Ruysh (de 1508), Coppo (de 1528) e Ribero (de 1529). A partir de meados deste século desaparece e, aparentemente, é substituída pela ilha de Man, associação que sempre parece ter existido.

 

A ILHA DE MAYDA TRANSFERE-SE PARA AS COSTAS AMERICANAS

 

O mapa Desceliers de 1546 mostra na latitude de 47 graus esta ilha, aliás, na mesma longitude de São Miguel. O mapa de Nicolao (de 1560) e Zaltieri (de 1566) transferem-na para as águas do Labrador, Nicolao chama-lhe "I man orbolunda". Zaltieri mantêm o nome Mayda e coloca-a também claramente em águas americanas. O nome de Nicolao "orbolunda" é, para nós, um mistério, que merece uma investigação mais profunda, que não pudemos completar. Ramusio, em 1566, coloca a sua "Man" a Sul do Brasil, nas proximidades das costas irlandesas.

Parte do mapa Prunes de 1553 que mostra Maida, Brazil e a Estotilândia.

SOBREVIVÊNCIA DE MAYDA EM MAPAS TARDIOS

 

A ilha sobreviveu na cartografia até tempos relativamente recentes, o mapa de Nicolaas Vischer de 1670 mostra uma "L'as Maidas" na longitude da Madeira e na latitude da Bretanha, um mapa mundi do "Atlas Universel" de M. Robert (1757) possuí uma "I.Maida" na longitude da Madeira e na longitude da Gasconha. Também uma carta do Oceano Atlântico publicada em Nova Iorque em 1814 mostra ainda Mayda na longitude 20 graus Oeste e na latitude 46 graus Norte.

 

IDENTIFICAÇÃO DA LENDA COM ALGUNS FACTOS REAIS

 

A identificação com a mais ocidental das ilhas açorianas tem sido proposta por vários autores. Mas o Mapa Laurenziano de 1351 e o "Livro do Monge Espanhol", escrito em meados do século XIV, mostra todas as ilhas do grupo açoriano, entre as quais a ilha do Corvo juntamente com Mayda. Também Man, ilha frequentemente associada a Mayda, é diversas vezes representada com o arquipélago açoriano completo.

 

Lembremo-nos que inicialmente se pensava que o Labrador era uma ilha, o que a transforma num forte candidato a identificação com Mayda, por outro lado, mais a Sul, as Bermudas apresentam igualmente boas hipotéses na identificação.

 

ORIGEM ARÁBICA DA DENOMINAÇÃO "MAYDA"

 

Logo após a conquista da Hispânia é possível que navegadores islâmicos se tenham feito ao Atlântico. Parecem ter dado nomes a algumas das ilhas dos Açores, pelo menos é isto o que se depreende da leitura do tratado de Edrisi e de outras obras muçulmanas.

 

A ilha "Asmaidas", um nome de ressonância arábica, aparece num mapa do Novo Mundo da edição de um Ptolomeu de 1513. Mas não se deve associar necessariamente esse prefixo talvez arábico à origem arábica do nome da ilha. Mostra-se que esta associação pode ser abusiva quando no mesmo mapa nos aparece Gomera transformada em Agomera, Madeira em Amadera, e Brasil em Obrassil. Trata-se assim, muito possivelmente, de um artifício de escrita. De qualquer modo, embora a origem árabe do nome desta ilha fique por esclarecer, o nome Bentusla (ou Bentufla) aplicado a uma ilha em forma de crescente do mapa Bianco de 1448 pode ter efectivamente, segundo Babcock, uma origem arábe.